• Início
  • Dia a Dia
  • Indígenas realizam protesto em Manaus reivindicando direito a habitação

Indígenas realizam protesto em Manaus reivindicando direito a habitação

Indígenas ocupam avenida Tapajós cobrando direito à moradia (Foto: Ive Rylo/G1 AM)MANAUS – Indígenas de várias etnias ocuparam nesta segunda-feira, 11, a avenida Torquato Tapajós, zona Norte, protestando contra a falta de atenção das autoridades estaduais e municipais e cobrando tratamento digno e moradias. De acordo com as lideranças do protesto, as famílias indígenas estão sendo expulsas das terras onde construíram suas casas nas comunidades Monte Orebe 1 e 2, Rei Davi 1 e 2 e Paraíso, no bairro Santa Etelvina. Em Manaus moram índios de mais de 50 etnias, com poucos direitos a educação, saúde e moradia.

 

No protesto desta segunda-feira estavam presentes indígenas das etnias Mura, Tucano, Sateré Mawé e Cocama. Munidos de faixas, apitos, arcos e flechas, eles fizeram uma manifestação pacífica, com o objetivo de chamar atenção do governo do Estado e da Prefeitura de Manaus, para o problema da falta de moradias. Recentemente, a Prefeitura e o governo do Estado se movimentaram para garantir moradia para indígenas venezuelanos, com isso chamaram a atenção da mídia, mas esquecem de dar atenção aos indígenas do Amazonas.

De acorro com as lideranças indígenas, há cerca de 15 dias os moradores das cinco comunidades têm recebido mandados de reintegração de posse para desocupar as terras onde construíram suas casas. "Estamos reivindicando a nossa terra. Nosso povo está sendo expulso das comunidades. Não temos para onde ir", destacou o cacique Tucano, Francisco Tepo, 52. Segundo ele, algo em torno de 25 mil indígenas moram nessas comunidades. Além de indígenas, a manifestação contou com o apoio de defensores populares. "Estou reivindicando o direito de moradia deles. Fiz um levantamento e são seis mil famílias que estão morando nas comunidades. Por lei, a constituição dá o direito de moradia para eles", disse a defensora Arlete Domingos.