• Início
  • Política
  • Câmara realizará audiência pública para discutir licitação de Alternativo e Executivo

Câmara realizará audiência pública para discutir licitação de Alternativo e Executivo

Representantes de motoristas pedem que SMTU finalize licitação (Foto: Robervaldo Rocha/CMM)MANAUS – A Comissão de Transporte, Mobilidade Urbana e Acessibilidade da Câmara Municipal de Manaus vai realizar uma audiência pública para discutir o processo de licitação para os sistemas de transporte Alternativo e Executivo, que está parado há três anos. Na Câmara, a avaliação é que esse processo deve ser extinto e realizada outra licitação, o que desagrada os profissionais dos dois sistemas, por considerarem que serão prejudicados.

 

Na quarta-feira, 23, um grupo de 50 motoristas de transporte Alternativo e Executivo estiveram na Câmara solicitando ajuda dos parlamentares no sentido de cobrar mais agilidade da Superintendência Municipal de Transportes Urbanos – SMTU na definição do processo de licitação, que começou em 2014. “Queremos mostrar aos vereadores o que está acontecendo com esse processo. Estamos há três anos prejudicados com a paralisação dessa licitação”, disse ele o representante dos motoristas, Pedro Ferreira.

Com a possibilidade de anulação do processo licitatório em andamento, para a realização de um novo, Pedro Ferreira disse que os profissionais que se habilitaram, na licitação para operar no sistema e aguardam a conclusão desse processo, ficarão prejudicados. “Por isso estamos lutando pela manutenção e pela conclusão desse processo”, destacou. A licitação para concessão do serviço de transporte Alternativo ofereceu 200 vagas, para o Executivo 120 vagas. Segundo Pedro Ferreira, 194 motoristas do Alternativo e 109 do Executivo conseguiram ser habilitados e esperam que o prefeito, Arthur Neto, tome uma decisão pela conclusão do processo em andamento.

A data da audiência pública ainda vai ser marcada, mas segundo o presidente da Comissão de Transporte, Mobilidade Urbana, Rosivaldo Cordovil – Podemos, deverá contar com a presença de representantes do Ministério Público do Estado, Tribunal de Contas do Estado e da SMTU. “Precisamos conversar com todos os órgãos para entender todos os fatos ocorridos para saber se a licitação será mantida, se será cancelada, como está o andamento atual do processo. Vamos fazer a nossa parte”, disse o vereador.